terça-feira, 11 de abril de 2017

Sismus na Greve Geral dia 28/04

O Sismus se juta à Direção Nacional da CUT, que reunida em Brasília, no dia 29 de março, deliberou pela organização da greve geral como ação estratégica da central para derrotar a reforma da previdência, a reforma trabalhista e a terceirização propostas pelo governo ilegítimo de Michel Temer (PMDB). 
Vamos parar o País no dia 28 de abril, mandando mais uma vez nosso recado para a quadrilha que tomou o poder através do golpe e para sua base de parlamentares corruptos no Congresso: NENHUM DIREITO A MENOS! A greve geral será um passo decisivo na luta que continuaremos a travar, sem trégua, para derrotar o governo golpista.
Transformaremos abril num mês de lutas. Sairemos às ruas, como fizemos nos dias 8 e 15 de março, para denunciar e repudiar a reforma da Previdência, que pretende acabar com a previdência pública no Brasil. Sairemos novamente às ruas para denunciar e repudiar a reforma Trabalhista, que rasga a CLT e gera o trabalho precário. Iremos às ruas para repudiar o Projeto de Lei (PL) 4302, recentemente aprovado na Câmara dos Deputados numa manobra do presidente da casa, Rodrigo Maia, que fragiliza a organização sindical e permite a terceirização na atividade fim, condenando os trabalhadores a “viverem de bicos”, sem nenhuma segurança em relação ao trabalho e a direitos básicos, como férias, décimo terceiro, jornada de trabalho, descanso remunerado, horas extras, entre outros direitos fundamentais, conquistados após décadas de lutas.
O Sismus está convocando assembleia no dia 24 de abril, quando iremos deliberar sobre a Greve Geral do dia 28 de abril. Contamos com a adesão de todos os servidores que entendem os prejuízos que as "deformas" propostas pelo governo ilegítimo podem trazer, principalmente para a classe trabalhadora. É hora de tomar as ruas!