terça-feira, 5 de dezembro de 2017

Sindicato cobra julgamento das contas de De Paula

As dirigentes sindicais Alba Soares e Cidinha estiveram em reunião com os vereadores responsáveis pela pasta da Educação (Cilas Moraes (PSB), Cido Polícia (PSB). Nildão (PPS), que também responde por essa pasta não compareceu), para tratar do pedido de investigação que deve ser votado em breve pelo Legislativo das contas de 2015 ainda na gestão do então prefeito Carlos De Paula (PP) e sobre a possível aprovação das contas.

A defesa da direção do Sismus, é que as perdas salariais dos profissionais da educação de Sarandi acumulam desde 2004 - ainda no antigo Fundef - somam cerca de R$ 1 milhão, próximo de 15% que deixou de ser aplicado na remuneração dos docentes. Recentemente o sindicato recebeu do Ministério Público estudo sobre essas perdas, e o jurídico entrou com ação na justiça cobrando ressarcimento dessas perdas.

No ano de 2010 a administração novamente deixou de aplicar o percentual mínimo de 60% em educação, mas mesmo assim, contrariando o interesse dos servidores, os vereadores aprovaram as contas daquele exercício. Novamente, em 2015, o mesmo problema, o ex-prefeito deixou de repassar os 100% exigido por lei na Educação e suas contas foram reprovadas, os vereadores já estão em posse dos documentos e tem prazo de 20 dias para analisar e julgar se aprovam ou não as contas.

Quem é quem?

Essa é a hora em que vamos saber de qual lado está a maioria dos vereadores, se dos trabalhadores ou da velha politicagem e da mania de encobrir a sujeira dos gestores municipais. Se forem aprovadas as contas do município, esse será um atestado de que os vereadores favoráveis pouco se preocupam com  a valorização dos profissionais e com a estrutura educacional de nosso município.